Como prefere entrar em contato?
Bem Vindo(a)

Expulso do PSL, Frota é convidado para o DEM

BRASÍLIA – O deputado
Alexandre Frota
(SP),
expulso do PSL na manhã desta terça-feira,
foi convidado para integrar o
DEM.
O convite foi confirmado pelo presidente do partido,
ACM Neto,
ao GLOBO. Segundo Neto, o convite foi feito na semana passada e se mantém agora com a expulsão de Frota do PSL. O deputado ainda não respondeu. Mas segundo a colunista Bela Megale,
o PSDB trata como certa filiação de Frota
.

LEIA MAIS:
Alexandre Frota é expulso do PSL

RELEMBRE:
A sequência de críticas a Bolsonaro que levou a expulsão

O pedido de expulsão
partiu do próprio presidente do PSL, o deputado Luciano Bivar (PE).
A Executiva, presidida por Bivar, se reuniu na sede do partido na manhã desta terça-feira para deliberar sobre o caso.

Na novela Sassaricando (1987), em cena com Rômulo Arantes, no começo da carreira de ator Foto: Arquivo O Globo
Em dezembro de 1986, subiu ao altar com Cláudia Raia na Candelária, a igreja mais famosa do Rio Foto: Arquivo O Globo
Nos anos 2000, posou nu para revistas voltadas ao público gay e protagonizou filmes de sexo Foto: Divulgação/ Brasileirinhas
Adotou a faceta política nos atos pelo impeachment de Dilma. Foi para o MBL e brigou com o grupo Foto: Pedro Kirilos / Agência O Globo 30/08/2016
Em 2016, surpreendeu ao ser recebido pelo ministro Mendonça Filho para propor políticas de Educação Foto: Reprodução
Frota se envolveu com um princípio de briga com o ativista do movimento negro Jesus dos Santos (PSOL), durante cerimônia de diplomação de novos deputados na Alesp 18/12/2018 Foto: Reprodução
Frota entregou ao ao ator e ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, um certificado de reconhecimento assinado por Bolsonaro Foto: Reprodução
Com mais de 150 mil votos e entre os 20 mais votados por SP, Alexandre Frota é eleito deputado federal pelo PSL Foto: Jorge William / Agência O Globo
Após sete meses de mandato, o deputado federal Alexandre Frota foi expulso do Partido Social Liberal (PSL) Foto: Jorge William / Agência O Globo 20/02/2019
O pedido de expulsão partiu do próprio presidente do PSL, o deputado Luciano Bivar (PE). A votação foi unânime, com nove se posicionando a favor da expulsão de Alexandre Frota Foto: Agência O Globo
A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) apresentou denúncia contra Frota. Na denúncia constam tweets em que Frota chama o diretório estadual de São Paulo de “milícia de ex-PMs” e cita entrevista à revista ÉPOCA em que o deputado diz que Bolsonaro é sua “maior decepção”, mas voltou atrás Foto: Michel Filho / Agência O Globo
O deputado fez campanha para o presidente Jair Bolsonaro ser eleito Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo
Na foto Alexandre Frota na porta do condomínio da Barra da Tijuca onde mora o presidente quando está no Rio na comemoração da eleição de Jair Bolsonaro para presidente do país Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo
Alexandre Frota e o então candidato à presidência da república Jair Bolsonaro, na convenção estadual do PSL em 2018. Frota já declarou sua decepção com Bolsonaro, criticou publicamente as ações do governo e a postura da bancada do PSL no Congresso Foto: Marcelo Chello / Agência O Globo
Até contra o ideólogo da direita brasileira, Olavo de Carvalho, Alexandre Frota já se pronunciou, disse que Bolsonaro deveria dar um “esporro” no guru do Bolsonarismo Foto: Vivi Zanatta / Agência O Globo
Entre as atitudes polêmicas do deputado Alexandre Frota está a nomeação de seu personal trainer, Jean, para o cargo de secretário parlamentar da Câmara Foto: Reprodução

Estavam presentes na reunião o senador Major Olímpio (SP), o deputado Julian Lemos (PB), o líder da sigla na Câmara Delegado Waldir (GO) e outros membros do partido. A votação foi unânime, com nove se posicionando a favor da expulsão.

A deputada Carla Zambelli (SP) e Major Olímpio também haviam apresentado denúncias contra Frota. Na de Zambelli, constam tweets em que Frota chama o diretório estadual de São Paulo de “milícia de ex-PMs” e uma entrevista à revista ÉPOCA em que o deputado diz que Bolsonaro é sua “maior decepção”.

Zambelli também apontou o fato de Frota se abster no segundo turno de votação da reforma da Previdência como indício de infidelidade partidária. Segundo Bivar, porém, isso não foi levado em conta na expulsão de Frota.

O estatuto do PSL diferencia infidelidade partidária de “desalinhamento” do filiado com o partido. Por isso, o PSL não irá pedir a cassação do mandato de Frota por infidelidade partidária, já que essa infração não foi constatada, de acordo com Bivar. O presidente da sigla disse, ainda, que Frota foi advertido diversas vezes por suas declarações contra o presidente Bolsonaro.

— Foi um sentimento da Executiva Nacional do partido de que não foi a primeira vez que ele se comportou dessa forma, apesar de já termos conversado com ele.

A deputada Carla Zambelli mudou de ideia sobre uma eventual expulsão nos últimos dias, depois de conversar diretamente com Frota. Segundo ela, o deputado pediu desculpas e estava disposto a repensar suas atitudes.

Fundo partidário

No caso de expulsão do partido, o parlamentar fica livre para se filiar a uma nova sigla. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entende que é diferente de infidelidade partidária, em que o parlamentar escolhe desobedecer ou abandonar o partido e, segundo a lei brasileira, pode perder o mandato.

A saída de deputados de um partido não afeta o fundo partidário, distribuído todo mês, mas impacta na distribuição do fundo eleitoral do ano que vem, em que 48% é dividido de acordo com o tamanho da bancada na Câmara dos Deputados.

Se o fundo se mantiver em R$ 3,7 bilhões, como prevê o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, cada deputado trará R$ 3,47 milhões de fundo eleitoral para seu partido nas eleições municipais.

Críticas públicas

Filiado à sigla desde março do ano passado, Frota viveu uma “lua de mel” com os colegas antes de começar a criticar publicamente as ações do governo e a postura da bancada do PSL no Congresso. Sua chegada ao partido, por exemplo, foi precedida por 
um convite público de Bolsonaro, em tom de brincadeira, para que ele ocupasse um ministério.
 As trocas públicas de afeto, no entanto, minguaram recentemente.

Foto: Pedro Kirilos / Agência O Globo

Ex-ator, ele participou da primeira edição da extinta Casa dos Artistas, no SBT. Atualmente, ele voltou a ganhar projeção como ativista político, ao defender o impeachment de Dilma Rousseff e o projeto “Escola sem partido”. Foi eleito por São Paulo pelo Partido Social Liberal (PSL) e não declarou bens.

Foto: Jorge William / Agência O Globo/ 15-04-2016

O pastor já era conhecido entre evangélicos pela publicação de 18 livros e sua carreira como cantor gospel. Em 2013, ficou famoso nacionalmente ao assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara (CDH). Eleito pelo Podemos, declarou R$2.766.327,19 em bens.

Foto: Vinicius Loures / Agência O Globo

Em 2010, o palhaço foi eleito como deputado federal pelo Partido da República (PR) de São Paulo com o slogan “Vote no Tiririca, pior que tá não fica”. O humorista foi o deputado mais votado do país, com mais de 1,3 milhão de votos. Eleito pelo PR, ele declarou R$479.824,51 em bens.

Foto: E Entertainment network/Divulgação

Famoso pelo reality show sobre cirurgias plásticas nos Estados Unidos, ele defendeu que seria candidato à Presidência até abril desse ano. Com R$12,4 milhões em bens declarados, foi candidato a deputado federal por São Paulo pelo PRB, mas não se elegeu.

Foto: Diculgação/Record

Em sua primeira eleição, a modelo e atriz promete trabalhar “contra a violência física e psicológica”. Renata também participou do reality show “A Fazenda”, da Record, em 2011. Tentou se eleger pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB), ela declarou R$ 1 mil em bens.

Foto: Bárbara Lopes / Agência O Globo

A polêmica Sara Winter ficou famosa depois de liderar o radical Femen e junto com outras representantes do grupo feminista protestaram em frente à Casa de Vidro do BBB13. Depois, passou a se declarar antifeminista, e se inscreveu para participar do BBB14. Não declarou bens e disputou uma cadeira na Câmara pelo Democratas (DEM), mas não se elegeu.

Foto: Roberto Stuckert Filho / Agência O Globo

Ex-meia do Fluminense e do Palmeiras nos anos 1980, o jogador também passou pelo Botafogo, o Belenenses de Portugal e o Volta Redonda, onde encerrou a carreira. Em 1994, foi técnico do Fluminense. Nos últimos 11 anos, Deley foi filiado a cinco partidos: PSDB, PV, PMDB, PSC e PTB, atual sigla do ex-deputado do Rio. Ele não conseguiu se reeleger em outubro.

Foto: Divulgação/Tv Globo

O cirurgião plástico ficou conhecido por participar (e ser expulso) do BBB 17 e da 9ª edição da ‘Fazenda’. Em sua primeira candidatura, pelo Partido Social Cristão (PSC), o deputado federal pelo Mato Grosso declarou ter R$344.451,38 em bens. Ele também não foi eleito.

Na lista de críticas, Frota reclamou do presidente não ter apresentado recurso no processo que declarou inimputável Adélio Bispo, autor de um atentado à faca contra ele. Disse que Bolsonaro deveria dar um “esporro” no ideólogo de direita Olavo de Carvalho, guru do bolsonarismo. Ele também se recusou a endossar as convocações para protestos favoráveis ao governo.

Leia Mais

Conte o que você achou disso!

DATE: ago 13, 2019
AUTHOR: admin
Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *