Como prefere entrar em contato?
Bem Vindo(a)

Planejamento ativo: biólogos japoneses descobriram uma nova maneira de escolher o sexo dos mamíferos em inseminação artificial

Cientistas japoneses desenvolveram uma tecnologia para selecionar o sexo de animais nascidos como resultado de inseminação artificial. Os pesquisadores foram capazes de influenciar as células de tal forma que apenas um tipo de espermatozóide estava ativo – masculino ou feminino. Até agora, os experimentos foram realizados apenas em camundongos, mas especialistas têm certeza de que seu método pode ser usado para todos os mamíferos.

Pesquisadores da Universidade de Hiroshima (Japão) aprenderam a escolher o sexo dos filhotes durante a inseminação artificial. Os cientistas realizaram com sucesso um experimento em camundongos e afirmam que seu método é eficaz para todos os mamíferos. Isso é relatado pela revista PLOS Biology.

Células de mamíferos contêm dois tipos de cromossomos: X e Y. Nas fêmeas, todas as células, incluindo reprodutivas, contêm apenas cromossomos X e, nos machos, todas as células, exceto reprodutivas, carregam cromossomos ambos os tipos. Células germinativas masculinas – espermatozóides – podem conter cromossomos de um dos tipos – somente X ou somente Y.

  •                                 A tecnologia de seleção de sexo como resultado de inseminação artificial                             
  • Se o ovo, que, como todas as células do corpo feminino, contém apenas Os cromossomos X serão fertilizados com um espermatozóide do primeiro tipo, as células fetais conterão cromossomos XX, ou seja, o filhote será do sexo feminino. A fertilização com um espermatozóide do segundo tipo causará o aparecimento de descendência masculina, com cromossomos XY. Como as células de ambos os tipos são produzidas em partes iguais, a concepção de machos e fêmeas ocorre com a mesma probabilidade.

    Os biólogos japoneses obtiveram uma substância química que reduz a atividade motora dos espermatozóides com cromossomos X, mas não afeta sua viabilidade e fertilidade.

    •                                 Biólogos japoneses tem uma substância que interrompe a síntese de energia no espermatozóide com cromossomos X                             
    •                                 Gettyimages.ru                             
    •                                 © BlackJack3D                             

    Como resultado da inseminação artificial, os cientistas foram capazes de escolher esperma rápido ou lento e combinar cromossomos X e Y no embrião.

                    Também no tópico             

                            Em uma vida: os cientistas primeiro editaram o genoma no corpo humano                     

                        Cientistas do Hospital Infantil da Califórnia pela primeira vez editaram o genoma no corpo humano. A operação foi feita (********************************************) – verão Brian. ..                 

    Em experimentos com camundongos, o uso do esperma do tipo “rápido” em 88% dos casos levou ao nascimento de machos. O uso de espermatozóides com células “lentas” em (*****************************************%) os casos terminaram com o nascimento das fêmeas.

    Os autores do trabalho indicam que os métodos para separar os espermatozóides portadores dos cromossomos X e Y eram conhecidos anteriormente, mas eram muito mais complicados e mais caros, podendo também danificar o DNA fetal. A nova tecnologia é mais simples e barata. Além disso, quando o efeito da substância criada por especialistas japoneses em espermatozóides cessa, eles rapidamente restauram a capacidade de se mover.

    Pesquisadores afirmam que seu método funciona para todos os tipos de mamíferos e é adequado tanto para fertilização in vitro (FIV) quanto para inseminação artificial, que é usado na criação de animais.

    Gerente de projetos Professor Samayuki Simada não descartou que o novo método seja usado em medicina reprodutiva, desde que seja possível superar as inevitáveis ​​limitações éticas em tais casos.

    •                                 Um novo método pode ser usado em medicina reprodutiva                             
    •                                 Gettyimages.ru                             
    •                                 © Montes-Bradley                             

    “Já usamos com sucesso este método para determinar o sexo da prole de bovinos e suínos”, disse o professor Simada. “No entanto, apesar da utilidade desta tecnologia, as perspectivas para a sua aplicação no campo da reprodução humana são agora incertas e envolvem sérios problemas éticos.”

    Erro no texto?Selecione-o e pressione “Ctrl + Enter”

    18356149288 Leia Mais

    Conte o que você achou disso!

    DATE: ago 13, 2019
    AUTHOR: admin
    Sem categoria

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *